Postagens

SUS dobra recursos para tratamento contra o câncer.

Imagem
Em seis anos, mais que dobraram os recursos destinados para tratamentos oncológicos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o País. O investimento saltou de R$ 2,2 bilhões em 2010 para R$ 4,6 bilhões em 2017. Os dados são do balanço mais recente do Ministério da Saúde, que levantou os investimentos em tratamentos paliativos, cirurgias, radioterapia e quimioterapia a todos os tipos de câncer.
Somente em 2017, de acordo com o levantamento, foram 324.045 cirurgias oncológicas, 3,1 milhões de procedimentos quimioterápicos e 11,2 milhões de sessões de radioterapia oferecidos gratuitamente pelo SUS aos pacientes em tratamento contra o câncer.
A cobertura do SUS prevê atendimento integral e gratuito para todos os pacientes. Há ainda repasses para consultas com especialistas, exames e medicamentos.
Rede de atendimento
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), existem atualmente 288 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento do câncer no País. Todos os e…

65 anos sem Graciliano Ramos: "Ele continua atual", diz neto.

Imagem
O escritor e roteirista Ricardo Ramos Filho evita sair de casa no dia 20 de março. É a data da morte do avô dele, o escritor Graciliano Ramos (que morreu há 65 anos), e também da perda do pai, Ricardo Ramos (também escritor, há 26 anos).
Graciliano Ramos é autor de Vidas Secas, obra de 1938, que conta a história de retirantes nordestinos castigados pela seca. Além de romances, Graciliano também era conhecido por ser cronista, contista e político. Foi preso durante o governo Getúlio Vargas, em 1953, acusado de subversão, experiência retratada no livro Memórias do Cárcere, publicado pela viúva Heloísa Ramos.
O neto Ricardo Filho, que se tornou pesquisador da obra graciliana e da literatura infanto-juvenil, não chegou a conhecer o avô, mas as influências marcaram a vida dele desde a infância. Nessa família, o livro interligou as gerações. “Pela literatura, me aproximava do meu pai [...] me explicava a melhor forma de escrever e enxugar o texto”.
Ricardo Ramos Filho revela que Vidas Secas

Decreto de intervenção chega à Câmara e deve ser apreciado na segunda à noite

Imagem
O decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro já foi enviado da Casa Civil à Câmara dos Deputados. A mensagem presidencial sobre o decreto foi protocolada na 1ª Secretaria da Casa pouco antes das 16h.
Segundo a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, a pauta que seria apreciada pelo plenário na próxima semana “está em processo de reelaboração”, em virtude da intervenção. A nova agenda prevê a apreciação do decreto às 19h da próxima segunda-feira (19) e nos outros dias da semana a votação de medidas provisórias e acordos internacionais.
O decreto também deve ser analisado no Senado Federal. Para ser válido, ele precisa da autorização da maioria simples dos parlamentares presentes nos dois plenários. De acordo com a Constituição Federal, o decreto de intervenção deve ser analisado pelo Congresso Nacional depois de 24 horas de sua publicação. A Constituição determina ainda que, na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio, não poderá haver …

Programa Rio de Janeiro a Janeiro recebe inscrição de 678 projetos.

Imagem
O Programa Rio de Janeiro a Janeiro recebeu um total de 678 inscrições de projetos culturais, esportivos e corporativos, que se candidataram a entrar no calendário oficial da iniciativa. Lançado em setembro, o objetivo do programa é viabilizar a realização de um calendário turístico anual com cerca de 100 eventos estratégicos nas áreas de cultura, esporte, turismo e negócios, para incentivar o fluxo de turistas e a criação de empregos, colaborando para a recuperação econômica do estado.
Os dados das inscrições foram divulgados hoje (25) pelo Ministério da Cultura (MinC), que lidera o programa em parceria com as pastas do Desenvolvimento Social, do Turismo e do Esporte, governos do estado e do município, iniciativa privada, empresas estatais e Sistema S.
Cerca de metade dos eventos cadastrados é inédita e a maior parte é cultural, com 81%. Os esportivos somam 13% e os corporativos são 6%. Do total, 63% são propostas para a capital, 32% para o interior e 4% para a região metropolitana.

Justiça mantém bloqueio de R$ 4 milhões de ex-presidente da Petrobras.

Imagem
A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região manteve hoje (5), por unanimidade, o bloqueio de R$ 4 milhões das contas correntes do ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, que se encontra preso preventivamente desde 31 de julho, no âmbito da Operação Lava Jato.
O bloqueio foi imposto pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, por ocasião da prisão do executivo. A defesa entrou com recurso no TRF4, relatando não haver provas suficientes de que Bendine teria recebido dinheiro desviado de contratos com a Odebrecht, conforme relatado por delatores da empreiteira.
Nesta terça-feira, os desembargadores João Pedro Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen entenderam haver indícios suficientes para justificar o bloqueio, entre eles uma anotação na agenda de Marcelo Odrebrecht, ex-presidente-executivo da empreiteira.

Noiva do príncipe Harry já foi casada.

Imagem
Depois do anúncio oficial de que Meghan Markle está noiva de príncipe Harry, feito na segunda-feira (27), a futura mulher do monarca, quinto na linha de sucessão ao trono britânico, não é estreante em casamentos. 
Sim, a atriz de 36 anos já foi casada com o produtor de cinema norte-americano Trevor Engelson, 41. Meghan e Engelson se conheceram em 2004, bem antes de ela se tornar famosa pela série Suits, que estreou em 2011. Diferente de Harry, com quem está desde dezembro do ano passado, Meghan e o ex-marido demoraram a oficializar a relação: foram 6 anos de namoro até o noivado, em 2010. Em 2011, veio o casamento, que aconteceu em Ocho Rios, na Jamaica, mas os dois se divorciaram em 2013.
Enquanto Meghan gravava Suits em Toronto, no Canadá, Engelson trabalhava em Los Angeles, nos EUA. Por isso, os dois se separaram amigavelmente e justificaram o fim como "diferenças irreconciliáveis".
Fonte:Revista Quem

Furacão Irma deixa mais de 825.000 casas sem energia na Flórida.

Imagem